Conheça o sistema de gestão mais completo para seu negócio

Saiba como lidar quando o seu funcionário pede demissão

Soften Sistemas - 28/09/2017 - 3 Comentário(s)

Uma notícia que sempre pega de surpresa empregadores e empregados é a demissão de funcionários. Isso porque, o corte pode vir por decisões da diretoria, mas também acontece quando um colaborador decide se desligar da empresa.

Nesse momento, muitos gestores são surpreendidos, principalmente se o trabalhador se destaca em sua função. Para evitar desgastes desnecessários é preciso agir com muita serenidade, respeitando os direitos trabalhistas e também a escolha pessoal do profissional.

Ou seja, o setor administrativo da sua empresa precisa saber lidar com a situação, mesmo que a pessoa seja muito querida e talentosa. Afinal, esse momento envolve uma briga de interesses.

De um lado está o funcionário, querendo receber indenizações e outros benefícios. De outro, a empresa, que busca economizar ao máximo com o pagamento do que é exigido pela legislação ou por pedidos pessoais do trabalhador.

E você, sabe o que fazer nessa hora? É o que demonstraremos neste post. Venha conosco e aja corretamente para que ambas as partes saiam satisfeitas do processo de demissão!

Materiais Gratuitos Soften Sistemas

Entenda como agir com a demissão de funcionários

A legislação trabalhista garante o direito do trabalhador de pedir demissão no momento em que achar necessário.

Isso pode acontecer em razão de insatisfações com a política interna, falta de recursos técnicos, equipamentos, clima negativo ou por conta da oferta de uma oportunidade melhor em outra empresa ou de problemas familiares, entre outros motivos.

Trata-se de um acerto de contas delicado, em que acontecem perdas e ganhos. A dica é manter sempre a calma e planejar as finanças para honrar com todos os compromissos legais.

Ouça os motivos apresentados pelo colaborador e faça de tudo para manter o clima harmônico na conversa final.

Veja se o caixa da empresa está com saldo adequado para o acerto de contas e apresente uma proposta ao funcionário, demonstrando quanto tempo será necessário para que tudo seja pago, e estabelecendo os direitos e deveres de ambas as partes.

Veja o que deve ser pago quando o funcionário pede demissão

Quando a demissão de funcionários parte do pedido de um trabalhador, a empresa pode exigir o cumprimento do aviso prévio de 30 dias ou optar ainda pelo desligamento imediato, descontando o mês de trabalho na rescisão do contrato.

O empregado vai receber o saldo do salário referente ao dia em que sair, ou seja, se trabalhou até o dia 22 do mês corrente, serão 22 dias referentes ao valor diário baseado no salário mensal.

Além disso, o colaborador tem direito ao valor proporcional do 13º salário, com base na quantidade de meses trabalhados ao longo do ano.

O pagamento das férias proporcionais também deve ser cumprido pela empresa, de acordo com a legislação trabalhista, mesmo em caso de pedidos feitos antes do término do período de experiência.

Quem pede demissão não tem direito a multa de 40% baseada no valor acumulado do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e nem ao seguro desemprego — que pode chegar a cinco meses segundo o tempo de contribuição ao INSS, que deve ser superior a um ano.

Conheça dicas para evitar desgastes com colaboradores

Sabendo que pedidos de demissão inesperados por parte de funcionários geralmente causam desgastes no ambiente interno das empresas, vale a pena adotar algumas medidas que colaboram para manter a harmonia no clima organizacional.

A primeira dica é ouvir os pontos de vista do trabalhador para entender o pedido de demissão.

Nesse momento, veja se existe a possibilidade dele continuar por um período preestabelecido para que tudo seja acertado corretamente no setor financeiro, já que gastos não esperados podem comprometer a folha de pagamento e o controle das finanças.

Preze pela sinceridade. Conte como está a situação da empresa e diga o que poderá ser feito naquele momento. Quanto mais clara fora a comunicação, menores os desgastes. Além disso, caso a sua corporação esteja com dificuldades financeiras, coloque na mesa algum tipo de negociação com o colaborador.

Afinal, a maleabilidade faz parte do processo e pode ajudar muito a solucionar pendências ou desgastes que poderiam afetar negativamente a relação com o funcionário, principalmente em futuras batalhas judiciais, como veremos a seguir.

Descubra o que acontece se a empresa descumprir a lei

No calor da emoção, muitos empregadores podem deixar a racionalidade de lado e partir para o enfrentamento ao colaborador que pede demissão de maneira inesperada.

Nessa hora, quem se excede pode pagar um alto preço. Se as verbas rescisórias não forem pagas dentro dos prazos, como 10 dias após a formalização do pedido de demissão, a empresa fica configurada como inadimplente perante a Justiça.

Com isso, o artigo 477 da CLT assegura ao colaborador a possibilidade de fazer o pedido de indenização por meio de um processo trabalhista, o que acarretará multas bem superiores ao que deveria ser honrado pela corporação.

Ao entrar com uma ação trabalhista, certamente, o funcionário descreverá inúmeras outras situações que poderão configurar como desrespeito à legislação, como ausência do pagamento de horas extras, assédio moral, falta de EPIs (equipamentos de proteção individual), falta do pagamento do adicional por insalubridade etc.

Enfim, os gastos e impactos nas finanças da empresa podem ser estratosféricos.

Para evitar todos esses desgastes, a melhor orientação é sempre valorizar o diálogo, cumprindo o que a Lei Trabalhista exige para satisfação de ambas as partes.

Afinal, a demissão de funcionários é direito tanto do empregador quanto do empregado, ou seja, o inesperado se faz presente para todos.

Mantenha sempre a política da boa vizinhança

Como o mercado de trabalho é cíclico, muita gente que sai de uma empresa pode retornar ao antigo local de trabalho em poucos anos, trazendo mais conhecimento e experiências.

Por isso, o pedido de demissão de funcionários hoje pode ser o retorno deles amanhã desde que seja mantido um clima amigável e profissional.

Afinal, os seres humanos são livres e é muito difícil reter por muito tempo talentos de áreas diversas, já que as pessoas possuem projetos pessoais e almejam novos horizontes.

Portanto, a dica é agradecer pelo período em que determinado colaborador esteve em sua empresa e deixar a porta aberta caso ele seja realmente bom no que faz. Dessa maneira, a vida segue tranquila, ou seja, o processo fica bem menos pesado.

E você, já passou por uma situação de demissão de funcionários? Tudo correu bem? Compartilhe agora mesmo este post em suas redes sociais e mostre para amigos e familiares como proceder nesse momento!

Conheça Soften Sistemas

Soften Sistemas
Soften Sistemas

A Soften Sistemas é uma empresa de software para gestão fiscal e empresarial. Está no mercado desde 2002 e possui clientes em todo o Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 Comentário(s)

Sistema de Gestão Empresarial com Emissor NFe

           Experimentar grátis
Receba Grátis Materiais e Ebooks. Saiba como!