Quando procurar crédito para pequena empresa crescer?

Quando procurar crédito para pequena empresa crescer.

O acesso ao crédito para MEI, assim como para microempresas em geral, é facilitado por diversas instituições financeiras ou de apoio ao empresário. Mas é preciso cuidado na hora de pedir crédito. Em 2016, mais de 60% dos Micro Empreendedores Individuais (MEI) inadimplentes com seus tributos deviam pagamentos de INSS, ISS e ICMS — impostos obrigatórios para quem pretende se manter regular perante a Receita Federal.

Portanto, quem busca expandir o próprio negócio deve, antes de mais nada, fazer um planejamento minucioso, para que o crédito seja de fato um impulsionador do empreendimento.

Nesse ponto, é comum MEIs se depararem com a dúvida: quando pedir crédito e como fazer? Confira a resposta neste post!

Crédito para MEI: qual o critério para solicitar?

As principais instituições financeiras do Brasil oferecem ampla variedade de linhas de crédito voltadas para microempreendedores. Antes de recorrer ao crédito, é necessária uma avaliação muito cuidadosa da real necessidade de um aporte extra de capital, já que a contração de um empréstimo significa o pagamento de um valor mensal que vai fazer falta caso não haja o devido equilíbrio financeiro e planejamento.

Por isso, a primeira questão que todo MEI deve levantar antes de pedir crédito é: qual será o retorno que esse dinheiro a mais vai trazer? Além disso, é recomendável saber como isso impactará o pagamento de tributos, embora de fato seja imposta uma carga baixa de tributos e obrigações para MEI.

Por exemplo, pode ser que um empreendedor que venda churros tenha sua margem de lucro aumentada com um novo equipamento. Percebida a demanda, é hora de fazer os cálculos para saber o lucro presumido com a clientela nova a ser explorada. Se o retorno for suficiente, valerá a pena solicitar crédito para a compra de um novo equipamento.

Quais as principais instituições que oferecem crédito para MEI?

A Caixa Econômica tem o Microcrédito Produtivo Orientado

Vamos supor que o nosso vendedor de churros hoje tenha uma máquina com três doceiras e ele já esteja precisando de uma com cinco, que custa em torno de R$ 6.700,00. Nesse caso, ele poderá recorrer ao Microcrédito Produtivo Orientado da Caixa, que libera até R$ 15 mil (gradativamente), dependendo do porte do negócio.

O prazo para pagamento vai de 4 a 24 meses, mas o primeiro crédito deve ser pago obrigatoriamente em 12 meses.

Com valor mínimo de R$ 300,00 a primeira solicitação pode chegar a R$ 3 mil, com aportes de até R$ 5 mil a partir de um possível segundo contrato.

Os juros são de 3,3% ao mês, mais Taxa de Abertura de Crédito de 3% do valor do contrato. É necessário ser maior de 18 anos, não ter nome inscrito em nenhum cadastro de inadimplentes e passar por análise de crédito, que vai avaliar se o empreendimento poderá se sustentar e fazer os pagamentos.

O Banco do Brasil oferece o BB Microcrédito Empreendedor

A linha de crédito para MEI do Banco do Brasil é bastante parecida com a da Caixa Econômica. É também possível levantar até R$ 15 mil, limitado a três aportes de crédito em um período de 12 meses.

Outro critério que o banco impõe é o limite de duas operações de crédito num único mês, desde que uma seja para investimento e outra para giro (os pedidos são avaliados).

A diferença em relação à CEF é o valor mínimo para retirada, que pode ser de apenas R$ 100,00. Empréstimos para giro podem ser pagos entre 4 e 12 meses, e aqueles para investimento (a máquina de churros nova, por exemplo), podem ser quitados entre 4 e 8 meses.

A vantagem do BB é que ele tem uma parceria com a empresa Movera, que faz o acompanhamento enquanto o crédito estiver sendo utilizado. Antes mesmo de conceder o crédito, é feita uma visita ao empreendimento, para saber da viabilidade do negócio.

Máquinas e equipamentos podem ser financiados pelo BNDES

Já o BNDES FINAME é uma linha de crédito voltada exclusivamente para a aquisição de máquinas, bens de produção e equipamentos. São três modalidades distintas de concessão de crédito:

  • Moderniza BK: direcionado para a modernização de maquinário e equipamentos;

  • BK Produção: linha de crédito para quem quer produzir máquinas e equipamentos para automação e de informática;

  • BK Aquisição e Comercialização: linha mais robusta de crédito, para quem deseja adquirir máquinas, equipamentos de informática e de automação, além de sistemas industriais e até veículos pesados, inclusive aeronaves.

Os critérios para concessão variam de acordo com o tipo de crédito a ser pedido. O BNDES, diferentemente de instituições bancárias, opera com uma rede de instituições financeiras credenciadas, portanto, as normas e procedimentos podem variar em função da instituição escolhida.

O PNMPO oferece crédito para quem fatura até R$ 120 mil

O Ministério do Trabalho e Renda também apoia o microempreendedor com o PNMPO, o Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado, por meio de suas linhas de crédito, desde que o empreendimento fature até R$ 120 mil anualmente.

A dinâmica é parecida com a do programa de crédito oferecido pelo Banco do Brasil. Um agente de crédito acompanha as atividades da empresa, para avaliar a viabilidade do negócio e o potencial de retorno em cima do crédito concedido.

E, assim como o BNDES, a linha de crédito é oferecida por uma rede de instituições financeiras conveniadas.

O interessante do PNMPO é que ele expressamente se destina a empreendimentos populares, formais e até informais, desde que seu faturamento ao longo do ano não ultrapasse R$ 120 mil.

A linha de crédito tem caráter desenvolvimentista, ou seja, funciona como agente de fomento à atividade produtiva, com objetivo de gerar trabalho e renda.

Quais documentos são necessários?

Para ter acesso ao crédito no Banco do Brasil e na Caixa Econômica, a documentação solicitada inicialmente é:

  • CCMEI – Certificado de Condição do Microempreendedor Individual e/ou Certidão Simplificada da Junta Comercial;

  • documentos pessoais do empreendedor (documento de identidade e CPF);

  • comprovante de residência.

Já nas outras instituições, como o crédito é liberado mediante uma terceira instituição, a documentação exigida pode variar. Mas, no geral, de início, esses três comprovantes são também pedidos em outras instituições financeiras, por isso, o ideal é tê-los em mãos, não importando onde o crédito será solicitado.

E então, já sabe o que deve levar em consideração na hora de procurar crédito para MEI? Quer ter acesso a mais informações como essa? Assine nossa newsletter e receba nossos conteúdos em seu e-mail!

Ronnie Birolim
Ronnie Birolim

Formado em Ciência da Computação, COO (Diretor de Operações) e CMO (Diretor de Marketing) na Soften Sistemas. Escreve para o blog e coordena todo o setor de marketing da empresa. Está na Soften desde 2007 e nas horas vagas curte sua família, Rock anos 90 e video games.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts de interesse