lupa
Mouse

Quais são os Principais Tributos Fiscais e quais suas funções

Bianca Fernandes - 15/07/2022 - 0 Comentário(s)

Para um país crescer e se desenvolver economicamente, os governos necessitam de fontes de arrecadação tributária. ​​Portanto, os tributos fiscais têm a função de manter a máquina estatal funcionando.

Para que esse objetivo seja alcançado, o contribuinte deve pagar seus tributos para sustentar as atividades do governo. Além disso, os tributos também têm outras funções: fiscalidade, extrafiscalidade e parafiscalidade. A seguir, saiba o que significa cada uma.

Tributo Fiscal

Já mencionamos o propósito da primeira função que é fiscalidade, ou seja, tem por objetivo a arrecadação de valores para subsidiar as despesas públicas.

Exemplos de tributos fiscais: Imposto de Renda (IR), Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) e Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Na verdade, esse tributo não se limitada apenas à manutenção das atribuições do Estado, pois também pode ser classificado como extrafiscal, de acordo com que vamos ver a seguir.

Tributo Extrafiscal

Chamamos de tributo extrafiscal aquele que tem mais do que funções arrecadatórias. É um dos tributos utilizados como forma de estimular ou desestimular as ações do contribuinte, influenciando em diversas esferas da sociedade, seja política, ambiental, social ou econômica.

Nesse caso, o tributo é aplicado com a intenção de manter a economia, como o imposto de importação, por exemplo. Ele pode ter um aumento de alíquotas para fins de incentivo ao mercado interno, diminuindo a saída de capital.

Aqui estão alguns exemplos de tributos extrafiscais: Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e Imposto sobre Exportação (IE).

Esse tributo foi a forma encontrada pelo governo para assegurar a estabilidade econômico-financeira do Brasil. A função do tributo extrafiscal torna-se mais clara quando o Estado precisa reaquecer a economia.

Tributo Parafiscal 

Por fim, quando se trata de parafiscalidade, estamos falando de tributo para subsidiar atividades de entidades que atuam de forma paralela ao Estado. São contribuições consideradas especiais a partir de ações realizadas pela iniciativa privada, como por exemplo, as instituições SESC e SENAI.

Outro exemplo é a contribuição sindical, pois também é um tributo parafiscal que serve para a manutenção do sistema sindical. Da mesma forma, podemos citar as contribuições previdenciárias que custeiam o INSS.

Com a autorização do Estado, essas organizações atuam em ações sociais de maneira independente, o que contribui para a coletividade.

Outras categorias de tributos

– Progressivos e regressivos

– Vinculados e não vinculados

– Fixos e proporcionais

– Diretos e indiretos

Cumprir as leis tributárias é fundamental para que tudo funcione bem para ambas as partes: população e Estado.

E aí? Gostou do artigo? Então compartilhe com sua rede de contatos.

Te restou alguma dúvida? Então comente aqui e teremos prazer em te ajudar.

Continue nos acompanhando aqui no Blog e nas nossas redes sociais: FacebookInstagramYoutube e Linkedin.

Até a próxima!

Bianca Fernandes

Bianca tem 20 anos. Aqui na Soften, atuou no setor comercial e foi convidada para reforçar o nosso time de Marketing. É uma das responsáveis pela produção de conteúdo e uma das mais novas autoras do nosso Blog. Nas horas vagas curte ler, ouvir música, ver filmes e viajar. Além de adorar conversar e debater sobre assuntos diversos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Economize tempo e dinheiro.
Promova já o crescimento
da sua empresa.

Receba Grátis Materiais e Ebooks. Saiba como!