Incoterm DAT: Entenda Tudo Sobre o Assunto

Flávia Scalon - 23/06/2019 - 0 Comentário(s)

Exportadores, importadores ou qualquer empresa que trabalhe com cargas de transporte, conhecem o termo Incoterm DAT.

Este, é um dos 11 termos de responsabilidade para processos de importação e exportação.

É de grande importância que empresas que trabalham com comércio internacional, conheçam os termos de Incoterms.

Por isso, acompanhe este artigo e entenda sobre o Incoterm DAT e como funciona sua utilização.

Entenda um pouco sobre Incoterms

Incoterms é uma abreviação de International Commercial Terms, com tradução para ‘Termos Internacionais de Comércio’.

Estes termos foram criados em 1936, ficando as atualizações a cargo da ICC (Câmara Internacional do Comércio).

São 11 termos definidos e divididos em categorias, sendo que a versão mais atualizada é do ano de 2010.

As categorias são classificadas e divididas de acordo com a sua inicial, sendo: E, F, C e D.

O objetivo do Incoterms é a definição de responsabilidades e riscos de exportações e importações.

Ou seja, com ele se sabe de quem será as responsabilidades de entrega da mercadoria, e dos possíveis problemas que podem ocorrer durante o processo.

Portanto, cada um dos termos existentes atribuem um papel específico aos envolvidos no processo de importação e exportação.

Além disso, os mesmos podem ser cláusulas inseridas dentro de um contrato de compra de importação.

Por fim, o Incoterms é um suporte para o comprador e o vendedor em seus processo de comércio exterior, provendo harmonia nestes negócios.

Entenda mais sobre Incoterms neste artigo completo no Blog da Soften.

Incoterm DAT

O Incoterm DAT (Delivered at Terminal) é um dos termos inclusos no Incoterms e significa Entrega no Terminal, sendo ela classificada na categoria D.

Quando se opta por ele, o vendedor deve desembaraçar a mercadoria para exportação em seu país.

Logo, deve fazer o transporte internacional e descarregar a mercadoria, sendo preciso disponibilizá-la no terminal de carga citado no contrato.

No momento que o vendedor deposita a mercadoria no terminal de carga, sua responsabilidade e risco sobre o transporte acaba.

Ou seja, após a entrega no terminal, as responsabilidades e riscos passam a ser todas do comprador.

O termo DAT pode ser contratado por qualquer modalidade no transporte internacional, podendo ser: aéreo, marítimo, fluvial, lacustre ou terrestre.

Entenda a seguir como são divididas as responsabilidades do DAT:

Divisão das responsabilidades

No país de origem (país do vendedor):

  • Embalagem – Vendedor
  • Identificação – Vendedor
  • Carga na origem – Vendedor
  • Transporte dentro do país de origem – Vendedor
  • Seguro no país de origem – Vendedor
  • Direitos de exportação – Vendedor
  • Inspeção – Vendedor e Comprador
  • Peritagem – Vendedor e Comprador
  • Burocracias alfandegárias – Vendedor
  • Armazenamento – Vendedor
  • Despesas com o embarque – Vendedor
  • Estiva – Vendedor

Entre o país de origem e o país de destino:

  • Transporte – Vendedor
  • Seguro internacional – Vendedor

No país de destino (país do comprador):

  • Descarga – Vendedor
  • Manuseio – Comprador
  • Armazenagem – Comprador
  • Burocracias alfandegárias – Comprador
  • Direitos na importação – Comprador
  • Transporte dentro do país de destino – Comprador
  • Seguro no país de destino – Comprador
  • Descarga da mercadoria – Comprador

Vantagens e desvantagens do Incoterm DAT

Uma das vantagens deste termo é que se evita surpresas no momento de pagar os custos, pois todos estão embutidos no preço final da compra.

São estes custos: frete, impostos, seguro e desembaraço aduaneiro.

Além disso, quando se opta por este Incoterm, o importador se isenta da contratação de serviços que poderiam acabar atrasando os processos.

Por isto, a comodidade é uma outra vantagem do Incoterm DAT, mas, com isso se ganha uma desvantagem, a falta de controle na negociação direta.

Invista em uma boa ferramenta na rotina de uma empresa

Tenha processos simplificados e otimizados escolhendo as ferramentas corretas para a administração de seu negócio.

Dessa forma, toda atividade de importação e exportação é feita de forma organizada e eficaz.

Para isso, a Soften oferece softwares de gestão fiscal e empresarial aos empresários brasileiros.

Seu objetivo é facilitar o dia a dia das empresas, melhorando os processos burocráticos de uma administração.

Pois, as funcionalidades disponibilizadas são: emissão de documentos fiscais, controle de estoque, controle de vendas e gerenciamento de finanças.

Além de diversas outras vantagens, como implantação, treinamento e suporte técnico.

Entre em contato, seja um cliente Soften e tenha sua empresa automatizada e mais eficiente.

Compartilhe este artigo e veja novos conteúdos no Blog e nas Redes Sociais: FacebookInstagramTwitterLinkedin e Youtube.

Comente abaixo caso tenha dúvidas ou sugestões!

Flávia Scalon
Flávia Scalon

É formada em publicidade e propaganda, pós graduada em gestão de comunicação integrada e uma das principais autoras do blog. Especialista em assuntos fiscais. Nas horas vagas, gosta de ler sobre romance, comédia, drama, entre outros assuntos, também curte vários estilos musicais e aprecia múltiplas culinárias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sistema de Gestão Empresarial com Emissor NFe

           Experimentar grátis
Receba Grátis Materiais e Ebooks. Saiba como!