6 dicas para melhorar a sua gestão financeira empresarial

gestão financeira empresarial

Você já parou para pensar o que leva uma empresa a ser bem-sucedida? Sabe quais são os fatores-chave que diferenciam uma organização que se destaca das outras no mercado?

Neste post, você vai conhecer 6 dicas para melhorar a sua gestão financeira empresarial.

Continue conosco para entender o que as empresas de sucesso fazem na gestão financeira empresarial para se diferenciarem da concorrência e como você pode fazer isso na sua organização e alavancar o seu negócio.

Materiais Gratuitos Soften Sistemas

1. Entenda o que é a gestão financeira empresarial

Uma dica para aqueles que querem melhorar a gestão financeira empresarial é compreender corretamente o que isso quer dizer. Cabe lembrar que ignorar esses aspectos pode ser um pecado mortal e comprometer todo o planejamento da organização.

A gestão financeira empresarial pode ser definida como um conjunto de ações que devem ocorrer de forma coordenada para maximizar os resultados de uma organização.

Por meio delas, devem ser priorizadas formas para trabalhar principalmente os aspectos econômicos e financeiros empresariais.

A gestão financeira empresarial pode ocorrer de diferentes formas dependendo do tipo de organização, atividades que desempenha e momento em que ela se encontra no ciclo de vida empresarial. Entretanto, o mais comum é que envolva o controle e planejamento de recursos financeiros.

Também é possível envolver atividades de análise e planejamento propriamente ditas, reajustes quando necessários e integração entre diferentes departamentos, buscando a otimização de processos e maximização de resultados. A sincronia deve fazer parte de uma gestão financeira de sucesso.

2. Melhore a organização de suas contas a pagar e a receber

A sincronia faz parte da gestão financeira empresarial e ela deve ser observada em todos os departamentos. Um dos que mais precisa desta harmonia é o departamento de contas a pagar e a receber.

Buscar a organização e o equilíbrio entre os recebimentos e os pagamentos é essencial por vários motivos. Com as contas a pagar organizadas, a empresa evita o pagamento desnecessário de multas e juros por atrasos, o que descapitaliza ainda mais o seu negócio.

Outro grande problema é a questão administrativa, que pode ser prejudicada por esses atrasos e gerar dificuldades, já que alguns fornecedores podem cortar o relacionamento com a sua empresa, protestar o título, entre outras repercussões negativas.

Ter as contas em dia também garante descontos, condições especiais de pagamentos, assim como outras vantagens.

As contas a receber também merecem atenção, pois vão compor o seu capital de giro.

Assim, é preciso estar de olho nesses valores, uma vez que, com o menor indício de que um cliente está em atraso, pode-se agir pontualmente, evitando que ele entre em inadimplência e prejudique todo o seu fluxo de caixa.

3. Controle o seu capital de giro

Falando em contas a pagar e a receber e no capital de giro, aqui entra outro problema muito comum: a falta de entendimento dessa relação tão íntima e necessária na organização. O controle das contas quanto à sua periodicidade e equilíbrio é essencial para a manutenção do capital de giro.

Ocorre que muitas empresas acabam ficando sem dinheiro para arcar com suas contas ou porque dão muito prazo para os seus clientes, ou porque não contam com um sistema de cobrança efetivo e têm uma inadimplência muito grande.

Tendo isso em vista, é preciso compreender que o capital de giro é a quantidade de recursos necessária para a manutenção das atividades da empresa.

Assim, buscar formas de equilibrar as disponibilidades faz parte da rotina de qualquer empreendimento que possui uma gestão financeira empresarial de sucesso.

Acompanhar os seus prazos, desde a fabricação de seus produtos, passando pela venda e entrega até o recebimento, ou ainda aqueles relacionados aos seus serviços e também buscar melhores condições de pagamento com os seus fornecedores pode ajudar na manutenção do capital de giro e na saúde financeira de sua empresa.

4. Acompanhe a conversão das suas receitas em disponibilidades

O erro de muitas empresas é achar que um faturamento alto é o suficiente. Acontece que elas se esquecem de acompanhar a conversão desse valor em disponibilidades, ou seja, não apuram se realmente estão recebendo dos clientes.

Para isso é preciso utilizar as informações das demonstrações contábeis aliadas à gestão financeira empresarial.

Os dados disponíveis no Balanço Patrimonial e na Demonstração do Resultado do Exercício vão mostrar o quanto a empresa teve de receita em um determinando mês e como esses valores foram convertidos, se foram recebidos em caixa ou bancos ou ainda se foram vendas a prazo.

5. Utilize o fluxo de caixa

Para o controle dos recebimentos, a dica é o uso de uma ferramenta poderosa e que muitas vezes é esquecida: o fluxo de caixa.

Essa ferramenta permitirá entender quais foram os valores efetivamente recebidos e, com o uso de relatórios, o gestor poderá compreender como está a conversão dessas receitas em disponibilidades.

Caso a empresa esteja com uma inadimplência muita alta, é preciso agir. Conhecer bem os seus clientes, investir em um sistema de pós-venda e até mesmo criar um departamento de cobranças especializado para resolver essas questões pode melhorar os seus resultados e diminuir a inadimplência em sua empresa.

Figura Planilha Gratuita Fluxo de Caixa

6. Analise o comportamento dos componentes do resultado

Muitos empresários se esquecem de analisar o comportamento dos componentes do resultado, ou seja, o histórico de receitas e despesas. No entanto, essa análise é essencial para compreender o desempenho da empresa e faz toda a diferença na gestão financeira empresarial.

As despesas e as receitas permitem a compreensão de onde o dinheiro da empresa vem e para onde ele vai. Aqui, novamente, entra a importância do uso das demonstrações contábeis, fluxo de caixa e outros relatórios gerenciais que devem ser usados no apoio à tomada de decisão.

Deve-se buscar a compreensão de como estão os gastos, quais são os mais representativos, se é possível fazer cortes ou substituições.

Em relação às receitas, deve-se compreender quais são os principais produtos e serviços, se há épocas de sazonalidades, e outras particularidades da empresa.

Para uma gestão financeira empresarial de sucesso é preciso compreender como ela funciona e quais são os seus princípios! Além disso, é necessário organização e atenção às contas a pagar e a receber, capital de giro da empresa e uso das demonstrações contábeis e ferramentas como o fluxo de caixa.

Vale lembrar que essa ferramenta também auxilia no controle essencial das contas de resultado, que é outro componente importante de uma boa gestão financeira.

Conheça Soften Sistemas

Gostou deste post? Assine a nossa newsletter e fique sempre por dentro das nossas novidades e outros conteúdos de qualidade para a sua empresa!

Guilherme Volpi
Guilherme Volpi

Guilherme Volpi é CEO da empresa Soften Sistemas. Formado em Administração de Empresas, programava softwares nas horas vagas. Hoje coordena todo grupo Soften e quando sobra um tempinho escreve para o blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts de interesse