lupa
Mouse

Entenda agora tudo sobre o Fator R do Simples Nacional

Alessandro Caun - 25/08/2020 - 0 Comentário(s)

Se a sua empresa se enquadra no regime do Simples Nacional e dependendo da atividade desempenhada, em algum momento você irá se deparar com o Fator R.

Ele é um cálculo realizado por diversas empresas do Simples Nacional para identificar o anexo em que ela se encaixa e assim observar sua alíquota de tributação.

Portanto, dada sua importância, as empresas devem dispor de atenção dedicada ao seu cálculo.

Veja esse conteúdo e entenda o que é o Fator R, sua importância e é claro como realizar o seu cálculo.

fator r

Fator R, o que é?

O Fator R é um cálculo no qual a porcentagem encontrada define o anexo que a empresa será enquadrada para a tributação no Simples Nacional.

Ou seja, de acordo com os movimentos financeiros da empresa é possível caminhar por dois anexos do regime e, consequentemente, a cada mês ter uma alíquota diferente de tributação.

De acordo com o resultado apresentado, se o valor for superior a 28%, sua empresa irá seguir as alíquotas apresentadas no Anexo III do Simples Nacional.

Contudo, se a porcentagem apresentada for menor que 28%, a empresa deverá seguir as alíquotas contidas no Anexo V.

O cálculo do Fator R favorece também ao empresário, analisar os custos com folha de pagamento em comparação à receita bruta da empresa.

Todas as especificações acerca desse cálculo do Fator R estão contidas no artigo 18 da Lei Complementar nº 123 de 14 de Dezembro de 2006.

Lembrando que o recomendável é sempre buscar uma assessoria contábil para acompanhar o pagamento de tributos de sua empresa.

Como calcular o Fator R?

Inicialmente, deve-se conhecer os fatores e dados que serão utilizados para a realização do cálculo do Fator R.

Sua obtenção ocorre com base nos seguintes dados:

Com esses dados em mãos você deve aplicá-los na fórmula abaixo e assim chegar a porcentagem da sua empresa:

Fator R = Folha de pagamento (12 meses) /Receita bruta (12 meses)

Um Exemplo para entender:

“Uma empresa faturou R$ 850.000,00 nos últimos 12 meses de acordo com o levantamento, e realizou o pagamento de R$ 200.000,00 em salários, encargos e pró-labore.

Aplicando na Fórmula do fator: Fator R: 200.000/850.000, temos o seguinte valor: 0,23 ou seja 23%.

De acordo com o valor, identifica-se que essa empresa deverá seguir a alíquota do anexo V do Simples Nacional.”

Porque ele é tão importante?

Por meio dele, as empresas conseguem analisar os dados referentes às suas atividades e assim tomar decisões importantes.

Uma vez que o Anexo V costuma possuir alíquotas mais altas que o Anexo III, e o que todo empresário quer é pagar menos tributos possíveis.

Para isso, é preciso balancear o valor da receita bruta e do valor gasto em folha de pagamento, encargos e pró-labore.

Isso para que consiga manter sempre a porcentagem do Fator R acima dos 28% e assim conseguir se enquadrar no Anexo III.

Além disso, o Fator R beneficia e muito as empresas que destinam grande parte da receita ao pagamento de salários e afins. 

Pois, quanto maior esse valor em relação a receita bruta maior a porcentagem do Fator R e, portanto, alíquotas mais baixas do Anexo III.

O Fator R também se tornou uma ferramenta muito boa para que a Receita evite que as empresas tentem fugir do Anexo V, fazendo opção por outra atividade.

Isso acontecia muito anteriormente. A empresa escolhia uma outra atividade, mesmo que não correspondesse com a realidade, para entrar em um anexo com alíquotas menores.

Materiais Gratuitos Soften Sistemas

Quais atividades devem calcular o Fator R?

As atividades que devem ficar atentas quanto ao cálculo do Fator R estão especificadas no Art 18 da Lei Complementar nº 123.

Entre essas atividades estão a prestação de serviços, dentre as mais diversas áreas, como: fisioterapia, medicina, enfermagem, psicologia e odontologia.

Atividades de Construção, como: Arquitetura e Urbanismo, Engenharia, medição, cartografia, topografia entre outros.

Serviços de administração e locação de móveis e imóveis e academias de atividades físicas em geral.

Outras atividades que também estão sujeitas ao cálculo do Fator R estão apresentadas abaixo:

  • Elaboração de programas de computadores, inclusive jogos eletrônicos;
  • Licenciamento ou cessão de direito de uso de programas de computação;
  • Planejamento, confecção, manutenção e atualização de sites;
  • Empresas montadoras de estandes para feiras;
  • Medicina veterinária;
  • Serviços de comissaria, de despachantes, de tradução e de interpretação;
  • Representação comercial e demais atividades de intermediação de negócios e serviços de terceiros;
  • Perícia, leilão e avaliação;
  • Auditoria, economia, consultoria, gestão, organização, controle e administração;
  • Jornalismo e publicidade;
  • Agenciamento, exceto de mão de obra;
  • E outras atividades relacionadas à prestação de serviços do ramo intelectual.

Invista na Gestão Empresarial e torne sua tomada de decisão mais assertiva!

Nesse artigo você teve acesso a diversas informações a respeito do Fator R do Simples Nacional.

Por meio dele é possível analisar os dados referentes às suas atividades empresariais e assim tomar decisões importantes, principalmente com relação ao pagamento de tributos ao governo.

A estratégia empresarial que leva em consideração o Fator R, se bem feita, permite ao empresário gerar economia em seu negócio.

Porém, há outros pontos que merecem atenção e influenciam diretamente nesse fator “economia”.

Para isso, faça o seguinte questionamento: quanto é destinado dentro de seu negócio, em termos de investimento em mão de obra qualificada, para controlar seu estoque, produzir relatórios e organizar seus fluxos operacionais?

A resposta deixou você reflexivo por um instante? Então chegou a hora de investir em um bom Sistema de Gestão.

Uma das principais vantagens que um bom sistema de gestão pode trazer para o seu negócio é a redução de custos.

Um Sistema de Gestão tem um excelente Custo x Benefício para o seu Negócio!

Através dele é possível integrar todos os processos da empresa, compartilhando informações relevantes e precisas para o negócio, aumentando a eficiência organizacional como um todo.

Além disso, o Sistema de Gestão é capaz de automatizar diversas tarefas e facilitar o atendimento aos seus clientes, o que aumenta a produtividade e acaba reduzindo o custo total do trabalho empregado em cada etapa do seu negócio.

Ou seja, utilizar um Sistemas de Gestão Fiscal e Administrativo gera uma economia real em mão de obra em diversas áreas da suas empresa.

A Soften Sistemas conta com os Melhores Sistemas de Gestão do mercado

Como visto, é bom possuir ferramentas de controle total do seu negócio que trabalhe com eficiência, assim como os aplicativos da Soften Sistemas.

A empresa especializada possui dois modelos de softwares ERP: o Soften SIEM, aplicativo desktop; e o GerencieAqui, sistema online.

O cliente tem também, somado à eficiência dos softwares, implantação e treinamento gratuitos e auxílio do suporte técnico ilimitado.

Portanto, simplifique a gestão de sua empresa entrando em contato com a Soften.

Se você gostou desse conteúdo, compartilhe-o com seus amigos e acompanhe sempre o Blog da Soften.

Siga também as Redes Sociais da empresa: FacebookInstagramTwitterLinkedin e Youtube.

Comente abaixo, caso tenha alguma dúvida ou sugestão!

Alessandro Caun
Alessandro Caun

Mais conhecido como "Professor" é formado em Engenharia Elétrica, com mestrado na área. Nos últimos anos, tem se dedicado ao Marketing Digital e aqui na Soften é responsável pela produção de conteúdo. Curte rock e games retrô, um "nintendista" raiz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economize tempo e dinheiro.
Promova já o crescimento
da sua empresa.

           Experimentar grátis
Receba Grátis Materiais e Ebooks. Saiba como!