Conheça o sistema de gestão mais completo para seu negócio

Afinal, o que é NFC-e e quais são suas vantagens para o varejo?​

Ivan Pereira - 21/05/2018 - 0 Comentário(s)

Se você faz a emissão de cupom fiscal no seu estabelecimento ou está pensando em adotar essa prática, é melhor saber o que é NFC-e e como essa opção pode ser mais interessante para o seu negócio.

Criada com o intuito de substituir a emissão de cupom fiscal nas empresas e melhorar o sistema fiscal no país, a implementação da NFC-e promete reduzir os processos burocráticos e os gastos com atividades fiscais nas pequenas e médias empresas do varejo.

Porém, essa mudança tem causado dúvidas entre os varejistas, principalmente em relação a sua obrigatoriedade e real diferença com o modelo atual de impressão de cupons fiscais.

Pensando nisso, solucionamos nesse artigo as principais dúvidas sobre o que é NFC-e, sua diferença com o cupom fiscal e as vantagens que esse novo modelo oferece para o seu negócio. Confira!

Afinal, o que é NFC-e?

A Nota Fiscal ao Consumidor Eletrônica (NFC-e) é um documento fiscal destinado a transações no varejo para consumidores finais, ou seja, pessoas físicas. Ela foi criada com o intuito de substituir as notas fiscais de venda usadas nessas transações.

Dessa forma, a NFC-e substitui os famosos cupons fiscais emitidos pela impressora fiscal (ECF) nas compras realizadas em supermercados, farmácias e lojas do varejo. A Nota Fiscal de Venda, modelo 2, também será substituída por ela.

O objetivo da SEFaz é melhorar o processo de emissão de documentos fiscais nos estabelecimentos do varejo, automatizando e modernizando o processo atual.

Para isso, o novo processo realiza o envio dos dados de cada venda automaticamente para a SEFAZ e emite um documento chamado DANFE NFC-e, usado pelo consumidor para consultar as informações de suas transações.

O DANFE elimina a necessidade da impressão do cupom fiscal e possui um visual diferente do que os clientes estão acostumados.

Os produtos comprados não estarão mais discriminados no documento e é fornecido apenas um resumo da operação com seu valor total e número de itens. Os demais detalhes podem ser acessados de duas formas:

  1. smartphone: por meio da leitura de um QR Code na nota impressa;
  2. site da SEFaz: usando um código de acesso fornecido na nota;

[ATUALIZAÇÃO – SET. 2018] Lembrando que em Outubro de 2018 entra em vigor o modelo 4.0 da NFCe.

A mudança vêm para estabelecer um padrão da URL de consulta do QR Code da nota.

Para saber tudo sobre a mudança, veja este artigo.

Além disso, a impressão da DANFE é opcional, uma vez que o cliente pode fornecer um e-mail e receber o documento em sua caixa de entrada. Dessa forma, o consumo de papel é reduzido, contribuindo com o meio ambiente.

Materiais Gratuitos Soften Sistemas

Qual a diferença entre NFC-e e Cupom Fiscal?

Apesar de a validade jurídica ser a mesma para os dois documentos, existem muitas diferenças entre eles. A primeira, é a que a NFC-e foi criada para ser um documento digital, portanto, o ideal é que a impressão seja reduzida e seu armazenamento seja feito de forma eletrônica.

A impressão também muda, uma vez que a NFC-e não precisa de uma impressora especial, podendo isso ser feito em equipamentos comuns. Diferente do cupom fiscal, que só pode ser impresso com uso de uma impressora fiscal (ECF), equipamento que representa altos custos para o negócio.

Como falamos, os dados apresentados em cada documento também mudam. A NFC-e apresenta um resumo da transação e permite que o consumidor consulte as demais informações de forma online, enquanto o cupom fiscal apresenta a discriminação de cada item comprado, valor total da compra e total de contribuição de impostos.

A migração é obrigatória?

Atualmente, a migração não é obrigatória em todo território nacional, porém, alguns estados já começaram a mudar suas regras e exigir a mudança para a NFC-e devido aos benefícios que esse novo formato oferece.

Até o momento, seis estados já consideram a emissão de NFC-e obrigatória e a tendência é que a transição seja feita em todos os estados em pouco tempo.

A SEFaz disponibiliza um histórico de todas as mudanças em cada região do país, bem como um ambiente de dúvidas e informações para as empresas num site próprio para o assunto.

Se você é um varejista e está na dúvida se precisa ou não mudar para a NFC-e, o ideal é consultar seu contador e verificar se o negócio está seguindo as atualizações do governo para não ter problemas com o fisco.

Quais as vantagens para o varejo ao emitir NFC-e?

Envio online do cupom para a Secretaria da Fazenda

O primeiro benefício do novo modelo é que os dados das transações feitas no estabelecimento são enviados diretamente ao site da SEFaz. Dessa forma, não é necessário que os contadores façam essa tarefa e o negócio não corre riscos de problemas com o fisco.

Agilidade e segurança

Com a automatização desse processo, a agilidade nos cuidados fiscais e gestão de documentos também aumenta. Além disso, o armazenamento das notas passa a ser feito de forma digital, aumentando a segurança dessas informações para a empresa.

Redução dos gastos

A emissão da NFC-e também reduz os gastos da empresa com infraestrutura, uma vez que não é necessário a compra do emissor de cupom fiscal ou impressora fiscal para cada frente de caixa da empresa, equipamento conhecido por ser caro no mercado.

Além disso, como o intuito da substituição é reduzir as impressões e incentivar o uso do meio digital para consulta das informações, a empresa também reduz gastos com papel e tinta de impressora. O investimento em espaço para armazenamento físico também é reduzido.

Outro gasto que pode ser reduzido é a contratação de contadores. Como o processo é feito automaticamente, o trabalho desses profissionais é reduzido. Dessa forma, o custo dessas tarefas é menor para a empresa.

Padronização dos processos

O contador também ganha mais padronização nos processos relacionados aos documentos fiscais. Dessa forma, é possível receber as informações da NFC-e da mesma forma como ele recebe os dados dos demais documentos, mantendo o mesmo processo em suas atividades.

Diminuição de erros

Outro benefício para os contadores e para a empresa é que a automatização elimina a necessidade da digitação de dados e retrabalho, o que evita os possíveis erros durante esse processo que comprometem a situação fiscal do negócio.

Parametrização dos impostos

Por fim, com a NFC-e os impostos são parametrizados antes da emissão da nota, garantindo que os valores informados estão corretos. Dessa forma, o trabalho do contador em verificar essas informações é eliminado e a garantia de que as declarações estão corretas é mantida.

Fica evidente que adotar a NFC-e para o seu negócio é uma ótima estratégia, uma vez que essa opção é mais moderna, eficiente e exige menor investimento por parte da empresa. O modelo ainda oferece benefícios para toda a gestão e sua contabilidade.

Além disso, a tendência é que a substituição do cupom fiscal pela NFC-e seja obrigatória em todo país, como já é em alguns estados. Dessa forma, começar com o usa da segunda opção evita custos de mudança na estrutura e investimentos desnecessários, como a compra da impressora ECF.

A Soften Sistemas oferece um software emissor de NFC-e completo, com treinamento e suporte técnico ilimitado.

Entre em contato com a empresa ou acesse o site para saber mais sobre todos os produtos e serviços oferecidos.

Conheça Soften Sistemas

E você, gostou de saber o que é NFC-e e como ela pode mudar o seu negócio? Então comente aqui embaixo se você acha que essa solução pode ajudar a sua empresa a melhorar seus resultados!

Ivan Pereira
Ivan Pereira

Ivan é gerente de vendas na Soften Sistemas. É pro-gamer de diversos jogos na internet. Adora comida japonesa e filmes de comédia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sistema de Gestão Empresarial com Emissor NFe

           Experimentar grátis
Receba Grátis Materiais e Ebooks. Saiba como!