6 motivos para sua empresa possuir um Emissor de Cupom Fiscal

Ivan Pereira - 19/02/2018 - 0 Comentário(s)

O Emissor de Cupom Fiscal (ECF) é um equipamento de automação comercial sujeito às regras estabelecidas na legislação do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS).

A função do ECF é emitir documentos fiscais. Dessa forma, além de ser uma importante ferramenta de gestão da empresa varejista, também é um instrumento de controle fiscal de interesse do fisco, estando sujeito, portanto, às normas estabelecidas pela legislação fiscal.

Materiais Gratuitos Soften Sistemas

Continue lendo este post para compreender para que serve o Emissor de Cupom Fiscal, conhecer suas diferenças em relação à Nota Fiscal e descobrir seis motivos para usá-lo no seu estabelecimento. Boa leitura!

Cupom Fiscal x Nota Fiscal

Cupons e notas fiscais são documentos obrigatórios que devem ser emitidos por empresas que vendem seus produtos diretamente ao consumidor final. No entanto, existem algumas diferenças entre os dois.

O cupom fiscal é emitido pelo ECF, uma espécie de impressora autenticada pela Receita Federal. A nota fiscal, por sua vez, usa um arquivo e uma prescrição do governo para sua impressão.

No caso das notas fiscais eletrônicas, elas são autorizadas pela Secretaria da Fazenda (Sefaz) e geradas pelo software emissor de NF-e.

No cupom fiscal, por exemplo, não é possível incluir muitos dados dos compradores. Já na nota fiscal, é necessário incluir um registro completo do consumidor. Porém, apesar das diferenças, os dois têm o mesmo efeito em propósitos de recolhimento de tributos.

Cupom fiscal: obrigatoriedade

Em regra, a obrigatoriedade de emissão de cupom fiscal está ligada ao faturamento anual da empresa. Se você tem dúvidas a respeito disso, procure seu contador para ter certeza do enquadramento no seu caso.

Caso você opte por não fazer a emissão, deverá, em razão da Lei nº 12.741/12, fixar em um local visível uma lista com a totalidade de impostos de cada mercadoria. Atitude bastante antiquada para os padrões atuais, não é mesmo?

O cliente tem o direito legal de solicitar o recebimento do documento fiscal referente a sua compra.

Em geral, pode ser que ele precise comprovar a despesa (quando alguém for reembolsá-lo, por exemplo), mas também pode exigir o cupom fiscal sem apresentar motivo algum e usá-lo para a confirmação da compra no caso da troca dos produtos, quando for o caso.

Emissor de Cupom Fiscal: como usá-lo

Para que você possa fazer a emissão dos cupons fiscais, é necessário obter um sistema que registre os itens de venda, conclua a compra, emita o cupom e, ao final do processo, permita fazer o processo de fechamento estabelecido pela legislação.

Algumas empresas confiáveis fornecem soluções para emissão dos cupons; outras nem tanto.

Na época em que a obrigatoriedade entrou em vigor, surgiram muitos problemas, mas, felizmente, a maioria das marcas fornecedoras de software que não respeitou as regras foi removida do mercado pelo próprio comércio ou por órgãos fiscalizadores.

Um fornecedor que cumpre as normas legais evita problemas com a fiscalização, mas ainda não é o bastante.

Procure saber se ele tem condições de atender aos prazos para novas obrigações do fisco que podem surgir, pois muitos deixam para a última hora, fazendo com que seu empreendimento sofra multas pesadas.

Há diferenças de emissão de estado para estado. Portanto, verifique se seu fornecedor segue os requisitos locais. Além disso, não se esqueça de considerar os benefícios operacionais que o programa pode oferecer para o seu negócio.

Seis motivos para investir em um Emissor de Cupom Fiscal

1. Comprova as atividades da empresa

O emissor de cupom fiscal registra venda, revenda de mercadorias e prestações de serviços, ou seja, comprova as atividades do empreendimento. Assim, a empresa fica em dia com a Sefaz e os demais órgãos que monitoram e fiscalizam as atividades organizacionais.

Vale lembrar que outros tipos de documentos são emitidos pelo ECF, tais como:

Fiscais

  • leitura X (mostra os valores acumulados nos contadores e totalizadores);
  • redução Z (fechamento fiscal diário do emissor);
  • memória fiscal (relatório do movimento diário das reduções Z).

Não fiscais

  • comprovante não fiscal;
  • relatório gerencial;
  • cupom vinculado ao cartão de crédito.

2. Diminui a incidência da sonegação fiscal

Com a implantação do ECF na empresa, o empresário contribui para reduzir a informalidade e a sonegação dos tributos. Esse assunto traz problemas graves, como multas e autuações tanto para o negócio quanto para os sócios.

Vale ressaltar que uma parcela do que é pago nos impostos regressa em incentivos para ambas as partes, que, cientes de suas obrigações, podem combater as irregularidades fiscais.

3. Melhora a relação entre empresa e cliente

O relacionamento entre marca e cliente também muda para melhor, ainda que grande parte deles não exija o cupom fiscal após a compra.

Com a obrigatoriedade da empresa em fazer a emissão do documento, o consumidor passa a ter mais controle de seus gastos, o que também permite efetuar trocas de produtos e ficar atento às finanças pessoais.

Sem contar que ainda existem outros benefícios, como sorteios, premiações e abatimentos em impostos (IPTU e IPVA), entre outros.

4. Aumenta o controle da empresa pelo empresário

Ao ter todo o balanço de documentos emitidos pelo emissor de cupom fiscal, existe também um ganho na gestão da empresa.

Com o relatório contábil em mãos, você passa a ter mais controle de decisões importantes referentes a fornecedores, preços e produtos, o que melhora a gestão do negócio em geral.

5. Garante mais mobilidade para as transações

O quinto motivo são as novas possibilidades de negócios para o empreendedor, como a venda por meio de smartphones sem a necessidade de o consumidor se deslocar até o caixa para finalizar a compra, além do envio de cupom fiscal e informações de compra com QR Code por e-mail, tudo em um só lugar.

Falando em QR Code, você sabe como ele funciona no cupom fiscal? É bem simples! Ao escanear o QR Code de um cupom, o comprador acessa o site/página de sua nota, pode conferir o que comprou e gerar uma cópia digital.

Dessa forma, não é mais necessário ficar armazenando dezenas de comprovantes em papel.

6. Auxilia as vendas a prazo

O documento fiscal emitido pelo ECF pode ser usado para qualquer forma, modalidade ou meio de pagamento.

Referindo-se a vendas a prazo, o cupom fiscal pode conter, no espaço/campo reservado a informações adicionais, a indicação do preço total, bem como das parcelas e datas de seus respectivos vencimentos.

Conheça Soften Sistemas

Esperamos que este conteúdo tenha lhe convencido de querer investir em um emissor de cupom fiscal para sua empresa. Aproveite e conheça nossas soluções fiscais acessando nossa página de produtos. Nós, da Soften, certamente temos o que você precisa. Venha conferir!

Ivan Pereira
Ivan Pereira

Ivan é gerente de vendas na Soften Sistemas. É pro-gamer de diversos jogos na internet. Adora comida japonesa e filmes de comédia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sistema de Gestão Empresarial com Emissor NFe

           Experimentar agora
Receba Grátis Materiais e Ebooks. Saiba como!