5 indicadores de gestão para PME que você precisa conhecer

5 indicadores de gestão para PME que você precisa conhecer.

É natural que todo dono e gestor de uma PME tenha como um dos seus principais objetivos fazer com que a empresa cresça e ganhe consistência dentro do mercado em que disputa espaço.

Para fazer isso, além de muito trabalho e dedicação, é necessário estar atento aos indicadores de gestão. Eles conseguem traduzir o que está acontecendo com o negócio, mostrar possíveis falhas e sugerir onde deve ser redobrada a atenção para que os resultados sejam melhorados.

Alguns desses indicadores merecem um pouco mais de destaque por serem mais cruciais na análise dos negócios. Foi por isso que os selecionamos para você.

1. Faturamento

Normalmente, este é um dos indicadores mais famosos e o que aparece em todas as conversas sobre negócios. A soma de todas as notas fiscais de venda que foram emitidas realmente é algo bem importante de ser avaliado.

O valor consegue mostrar a capacidade de processamento das empresas e das entregas aos clientes. Naturalmente, existem algumas organizações que faturam e não conseguem atender aos pedidos já vendidos, mas esta é uma pequena variação que não prejudica a visibilidade do indicador.

Esse número é tão relevante que várias regras tributárias, condições para a disputa de licitações, dentre outras classificações, consideram o volume de faturamento como uma forma de identificar o porte das empresas.

Um faturamento constante e sem muitas variações consegue mostrar como o negócio está amadurecido e bem estruturado.

Quedas indicam fragilidades, como sensibilidade do consumidor à situação econômica, força da concorrência, diminuição da qualidade ou, ainda, entrada de produtos ou serviços substitutos no mercado.

2. Lucratividade

Apesar de dizer muito a respeito do ritmo em que anda a empresa, o faturamento por si só não consegue mostrar o real resultado do negócio. É por isso que se deve também pensar em avaliar a lucratividade apurada.

Considerando tudo que foi vendido, ou melhor, tudo que foi recebido (contas a receber), retiram-se todas as saídas (contas a pagar) para avaliar o que realmente ficou dentro do negócio.

Esse número também pode ser encontrado ao se fazer uma proporcionalidade entre os montantes que entraram e saíram em um determinado período.

Uma boa prática é fazer esta conta mensalmente. Assim, pode-se fazer um bom paralelo com outros índices de mercado como, por exemplo, o PIB nacional e aplicações financeiras.

Ao abrir uma empresa, todo empreendedor busca conseguir uma condição mais favorável — financeiramente falando — do que as possibilidades de aplicação que estão à disposição no mercado.

Por isso, a empresa precisa estar bem ajustada, de maneira que tenha possibilidades de entregar um percentual de lucratividade maior do que uma simples aplicação financeira, seja ela qual for.

É importante lembrar ainda que esta taxa de lucratividade varia muito dependendo do mercado em que se atua e, se você quer conseguir entender se a sua empresa está apresentando uma boa competitividade, basta avaliar como ela anda quando comparada aos seus concorrentes.

Materiais Gratuitos Soften Sistemas

3. Ticket médio

O ticket médio é o valor total correspondente a todas as suas vendas divididas pelo número de clientes. Todos estes números, naturalmente, devem ser retirados de um mesmo período de tempo.

Assim, o valor encontrado vai refletir qual é a média de vendas que o seu negócio faz por consumidor e isto é muito importante. A partir desses dados, uma avaliação histórica pode ser bem produtiva para sua administração ficar cada vez mais estratégica.

Avalie, por exemplo, se as épocas de promoções ou de descontos mais agressivos ajudaram a fazer com que o volume de vendas tenha sofrido alterações.

Confirme se existem algumas datas no ano em que os clientes compram mais e quando elas acontecem. Veja se suas ações de marketing estão surtindo efeito e quais as que trazem um retorno mais interessante.

Estudando o comportamento deste indicador, você vai conseguir entender melhor os seus clientes e, com isso, fica até mais fácil avaliar se as formas de pagamento que sua empresa tem oferecido estão adequadas a eles e também ao próprio negócio.

4. Custo fixo

Para qualquer que seja o volume da sua venda em um determinado mês, sua conta de internet provavelmente não vai sofrer nenhuma alteração. Isso ocorre porque ela é um custo fixo.

Custos fixos são todas as suas despesas que não variam de acordo com as vendas. Assim, vendendo muito ou pouco, ele continua estável. O ideal é manter este valor sempre o mais baixo possível para que a sua empresa consiga ter maiores chances de ganho.

Valores como aluguel e taxas que são pagas para manter a empresa de portas abertas, como o salário de alguns funcionários e outras contas que não variam em função da venda, são obrigações a serem quitadas e fazem parte do seu custo fixo.

Se você perceber que ele aumentando, é preciso entender bem o motivo. Podem ser reajustes de preços ou algum tipo de desperdício. O ideal é sempre mantê-lo o mais baixo possível.

5. Inadimplência

Por último, mas também de grande importância, é preciso ficar de olho na inadimplência. Este indicador mostra como a sua empresa está sendo corroída por clientes que não quitam suas obrigações.

Afetando diretamente a sua lucratividade, ela é uma parcela do faturamento que não retorna para a empresa. Para calculá-la basta comparar o valor faturado em relação ao que foi recebido em um mesmo período. A diferença é a inadimplência.

Cada tipo de negócio tem um percentual de inadimplência, mas isto não significa que ela não deva ser sempre combatida. Se você quiser reduzir este indicador, deve avaliar que tipo de fator está gerando a falta de pagamento dos clientes.

Talvez sejam clientes mais antigos, mais distantes, que fazem pedidos menores ou maiores. Pode ser que seja o caso até mesmo de mudar a política de recebimentos, como, por exemplo, extinguir vendas por meio de cheques e focar no faturamento por meio de cartões.

Os percentuais de perdas e os motivos que as justificam devem ser avaliados para que se possa adotar a melhor estratégia para o negócio.

Considerando todos estes indicadores de gestão para a sua PME, vai ficar muito mais fácil fazer o negócio crescer.

Se você gostou dessas dicas e quer ficar mais atualizado sobre boas práticas de gestão, curta nossa página no Facebook. Temos sempre sugestões para a sua empresa crescer!

Conheça Soften Sistemas

Guilherme Volpi
Guilherme Volpi

Guilherme Volpi é CEO da empresa Soften Sistemas. Formado em Administração de Empresas, programava softwares nas horas vagas. Hoje coordena todo grupo Soften e quando sobra um tempinho escreve para o blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts de interesse